O Bolsa família 2022 fez toda a diferença para milhares de brasileiros, porque através desse valor as famílias conseguiam se manter. Mas sem auxílio emergencial, como ficam os mais vulneráveis durante a crise? Se você já ficou com essa dúvida, saiba que essa também é a preocupação do governo.

O presidente Jair Bolsonaro tem ajudado muitas famílias por todo o Brasil, disponibilizando uma quantia para os beneficiários do auxílio emergencial. O país enfrenta um quadro de pandemia, devido a contaminação do COVID-19. A saída do governo foi colocar todo o Brasil em quarentena, essa durou meses e muitas pessoas perderam seus empregos.

Com tantas pessoas desempregadas, o atual governo buscou uma forma de ajudar as famílias disponibilizando dinheiro mensalmente. Mas esse valor foi temporário, a retomada das empresas precisava acontecer. Porque o país, necessitava que o mercado se movimentasse.

Por outro lado, com esse dinheiro os pequenos empreendedores cresceram. Por isso, a economia não desabou e começou a girar em volta desses serviços e produtos vendidos.

O que fazer quando o auxílio emergencial acabar?

Com o fim do auxílio emergencial, o governo irá investir em programas sociais. Sim, como o Bolsa Família por exemplo que sofrerá uma excelente reforma. Mas para isso, você precisará fazer o cadastro no Bolsa Família em 2022!

Com as empresas paradas, quando as coisas voltarem ao normal, muitas oportunidades de emprego surgirão. Esteja pronto para esse momento!

Você poderá se preparar focando em se capacitar profissionalmente! Porque o seu currículo precisará de um diferencial, isso só acontecerá se você investir em cursos.

⋙ Como ter acesso a cursos gratuitos?

Se você deseja ganhar bolsas de estudo, existem várias instituições de cursos que oferecem essa opção. Basta escolher em qual delas deseja estudar, em seguida pedir a bolsa.

Por exemplo: O SENAC possui um Programa de Gratuidade, onde quem pedir a bolsa de estudos e estiver de acordo com as regras, poderá ocupar a vaga do curso de graça.

 Como contornar crise financeira?

É verdade que o valor do auxílio ajudou milhares de pessoas, mas com esse dinheiro é possível empreender com um pequeno negócio. Claro que essa opção está em aberto, para pessoas que conseguem deixar um valor “X” livre ao receber.

Um pequeno negócio irá gerar uma renda e ao passar do tempo, você poderá ter seu próprio ponto de vendas. Então, você pode investir em um novo negócio e ser seu próprio chefe. Outra opção para contornar a crise é fazer economia, enquanto procura um novo emprego.

Com o início de 2022 se aproximando, milhões de brasileiros já estão ansiosos para saber qual será o valor atualizado do salário mínimo 2022. O reajuste foi proposto pelo governo em agosto e a previsão é que o aumento seja de 7,47%. Saiba mais sobre o valor atualizado do seguro-desemprego 2022 no artigo que trouxemos hoje.

Como você já deve imaginar, salário mínimo é o nome dado ao valor mínimo pelo qual um trabalhador pode vender sua força de trabalho. Em outras palavras, é o valor mínimo que um empregador deve pagar ao seu funcionário por seu serviço, seja ele qual for.

Atualmente, o salário mínimo serve de referência para mais de 48 milhões de pessoas em todo o país. Não é difícil imaginar por que a população está tão ansiosa para saber o valor do salário mínimo 2022.

Há dois tipos de salários mínimos: o estadual e o nacional.

O salário mínimo estadual é estabelecido de acordo com as leis específicas de cada estado, ou seja, o mínimo estadual de São Paulo não é o mesmo que o mínimo estadual do Rio de Janeiro, por exemplo.

Já o salário mínimo nacional serve como base para todos os estados que não determinam seu próximo salário mínimo estadual.

Como foram os reajustes no salário mínimo nos Últimos Anos?

Desde 2002, o salário mínimo cresceu bastante.

Veja como foram os ajustes realizados nos últimos 14 anos:

  • 2002: R$ 200,00
  • 2003: R$ 240,00
  • 2004: R$ 260,00
  • 2005: R$ 300,00
  • 2006: R$ 350,00
  • 2007: R$ 380,00
  • 2008: R$ 415,00
  • 2009: R$ 465,00
  • 2010: R$ 510,00
  • 2011: R$ 545,00
  • 2012: R$ 622,00
  • 2013: R$ 678,00
  • 2014: R$ 724,00
  • 2015: R$ 788,00
  • 2016: R$ 880,00
  • 2017: R$ 937,00
  • 2022: R$ 978,00

Como Será Realizado o Ajuste do Salário Mínimo 2022?

Para determinar o percentual de correção do salário mínimo, o governo soma a variação do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) do ano anterior (nesse caso, 2016) e o PIB dos últimos dois anos.

Só podemos dizer que o reajuste do salário mínimo proporciona ganhos reais quando o PIB apresenta crescimento no período utilizado para cálculo e, assim, aumenta além da inflação.

Em agosto de 2016, o governo apresentou uma proposta de reajuste de 7,47%, o que elevaria o salário mínimo de R$ 1045,00 para R$ 1100,00. Esse reajuste ainda pode mudar, mas se confirmado, infelizmente servirá apenas para cobrir a inflação do período e não proporcionará ganhos reais ao trabalhador.

O novo valor do salário mínimo deverá começar a ser pago a partir de fevereiro de 2022, mas como dissemos, o índice de 7,47% de aumento ainda não está confirmado, portanto, o salário mínimo 2022 ainda não está definido. O valor do piso também é a base para o cálculo de outros benefícios, como a consulta seguro desemprego, aposentadoria por idade, o abono salarial, o LOAS, e vários outros.

De acordo com cálculos do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), o valor ideal do salário mínimo para suprir as despesas básicas de uma família de 4 pessoas deveria ser de R$ 3.992,75. Esse valor seria suficiente para cobrir gastos com moradia, saúde, alimentação, vestuário, educação, transporte, higiene e lazer. Acredita-se que até 2019 o salário mínimo deva alcançar a marca de R$ 1.067,00.